Presidente Juscelino

Como Chegar Onde Ficar Onde Comer O Que Visitar Serviços Informações Gerais Contato

 

História do município:

Presidente Juscelino teve com berço natal um vale de pequena extensão, situado entre o Morro do Coroado e o Rio Paraúna.O panorama agradável e a riqueza mineral chamaram a atenção de mineradores que ali se instalaram para a pesquisa e exploração do cristal. Em virtude do grande movimento de tropeiros entre Dimantina, Santo Antônio da Estrada (hoje Curvelo ao qual pertencia) e Belo Horizonte, que à beira do Rio Paraúna descarregavam suas tropas para descanso foi-se formando o “Arraial dos Ranchos”. Segundo os moradores mais antigos o arraial dos ranchos de capim constituía à beleza daquelas paisagens. Em 1866, o Arraial dos Ranchos transformou-se em Distrito, recebendo o nome de São Sebastião do Para~uma, em homenagem a São Sebastião, o padroeiro e Paraúna devido ao Rio. Este nome foi simplificado para Paraúna em 1923. Junto à mineração, começou a desenvolver-se a agricultura , onde se destacou a lavoura de mandioca para a produção e farinha, principal alimento da época, bem como plantio de milho, arroz e feijão. A mão-de-obra utilizada era a escrava e uma das primeiras fazendas a serem construídas, foi dado o nome de “Brejo” no local que hoje possui o mesmo nome. Foi iniciado o cultivo de cana-de-açúcar e a fabricação de rapadura e aguardente. O primeiro impulso de desenvolvimento apresentado pelo então Distrito, foi a construção da ponte sobre o Rio Paraúna, ligando o Distrito ao município de Gouveia. Este foi um dos marcos de desenvolvimento, pois a partir daí, Paraúna passou a ser o elo de ligação rodoviária entre Diamantina (Vale do Jequitinhonha) e a capital do Estado, Belo Horizonte. Em 31/12/1953, novamente foi alterado o nome do Distrito que passou de Paraúna para “Ponte do Paraúna”. Em 1950, Ponte do Paraúna passou a gozar do privilégio de energia elétrica, já que a 6 km rio acima, existia uma cachoeira natural, onde foi construída uma usina, que passou a fornecer energia para o Distrito, além de Diamantina e outras cidades vizinhas.
Atualmente esta usina encontra-se encampada pela CEMIG e continua a fornecer energia elétrica à região.
Em 1º de março de 1963, Ponte do Paraúna foi elevada a categoria de cidade e recebeu o nome de Presidente Juscelino, em homenagem ao ex-presidente Juscelino Kubstichek de Oliveira.

Dicas de viagem:

O turista não pode deixar de visitar o Praia do Rio Paraúna, Festa de São Sebastião e o Forró de Presidente Juscelino.

O que visitar


Fundação em:

01/03/1963

Municípios limítrofes:

Monjolos, Curvelo, Inimutaba, Santana de Pirapama, Gouveia e Santo Hipólito.

Distância da capital:

215 km

Latitude:

18º 38’ 14” s

Longitude:

44º 03’ 30” w

População:

3.908

Área Total:

695.882 Km²

Altitude média:

596

Temperatura anual:

22,6 ºC

Temperatura mínima:

16,6 ºC

Temperatura máxima:

30,2 ºC

Período de seca:

Maio a Setembro

Período de chuva:

Outubro a Abril


Prefeito:

Warley Pereira Rosa


Telefone da prefeitura:

(38) 3724-1239

E-mail da prefeitura:

presidentejuscelino.mg@gmail.com

Endereço da prefeitura:

Rua Doutor Paulo Salvo, 150 – Centro, CEP.35.797-000

Órgão oficial de turismo:

Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária, Urbanismo, Meio Ambiente e Turismo.

Endereço do Órgão oficial de turismo:

Rua Doutor Paulo Salvo, 150, Centro – Presidente Juscelino.

Responsável do Órgão de turismo:

Simone Moreira Miranda Martins

Telefone responsável do Órgão de turismo:

(38) 3724-1239

E-mail do Órgão de turismo:

secremeioambienteturismo@gmail.com

Feriados e Datas Comemorativas:

20 de Janeiro – Dia de São Sebastião (Padroeiro da Cidade)
01 de Março – Aniversário da Cidade.

Se gostou, compartilhe!
Compartilhar